#28 - Argentina indígena: política, guerra e genocídio

30/09/2021

Na busca de uma construção identitária argentina calcada na figura do branco e europeu, lideranças do país têm constantemente negado a presença e a importância dos povos originários na formação da Argentina. As tentativas de apagamento dessas populações ficaram evidentes, por exemplo, quando o atual presidente, Alberto Fernández, afirmou que os argentinos chegaram de barco ao país, vindos da Europa.

No entanto, essa perspectiva nunca se limitou aos discursos. No decorrer da história argentina, diversos conflitos armados tiveram como objetivo a conquista e o extermínio de populações indígenas.

Mesmo assim, essas populações nativas resistem até hoje, reivindicando direitos políticos, de sua cultura e memória e o reconhecimento da diversidade étnica, social e cultural existente na sociedade argentina.

Mas quais eram as relações políticas entre indígenas e argentinos? Quem foram os personagens atuantes nestes conflitos? O que foram as Campanhas do Deserto? Para responder essas e outras questões, conversamos com o professor Gabriel Passetti, doutor em História pela USP e professor da Universidade Federal Fluminense.

O episódio já está disponível nas principais plataformas de podcast e também em nosso canal no YouTube. Esperamos que gostem do programa e deixem suas opiniões, sugestões e críticas! Também não esqueçam de nos seguir em nossas redes sociais.


Dicas e links


HQ "Guerra do Deserto", de Enrique Breccia (2021)

Livro "Entre a Araucania Maldita e o Deserto Indômito", de Alessandra Seixlack (2018)

Livro "El país del diablo", de Perla Suez (2015)

Livro "Indígenas e criollos", de Gabriel Passetti (2012)


Conheça nosso entrevistado

Gabriel Passetti é professor de História das Relações Internacionais na Universidade Federal Fluminense, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos da Defesa e Segurança (PPGEST-INEST-UFF). É doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (2010), onde também concluiu o bacharelado (2002), a licenciatura (2003), o mestrado (2005) e o pós-doutorado (2013). É coordenador do LAHPIS - Laboratório de História da Política Internacional Sul-americana.

Vinculado ao LEPEB - Laboratório de Estudos da Política Externa Brasileira (UFF) e ao TEFROS - Taller de Estudios sobre la Frontera Sur (UNRC, Argentina). Tem experiência em História da América, com ênfase em Argentina e Chile e suas relações com o Império Brasileiro. Atua principalmente nos seguintes temas: relações internacionais nas e das Américas; estratégias de expansão e legitimação das conquistas territoriais no século XIX; análise de relatos de viajantes; participação política de povos nativos. Bolsista Produtividade em Pesquisa CNPq (2016-2018 e 2019-2021) e Bolsista JCNE FAPERJ (2019-2022).