#30 - Liberalismo e Reformas Liberais na América Latina do século XIX

28/10/2021

Nos últimos anos, temos visto o uso ostensivo do conceito de liberalismo e suas características, juntamente com pautas conservadoras nos assuntos relacionados aos direitos civis.

Tal uso, iniciado após as manifestações de 2013 contra a então presidenta Dilma Rousseff, acaba por não se aprofundar nas bases do conceito, simplificando assim a história do termo.

Tanto na Europa quanto na América Latina, o liberalismo foi responsável por revoluções e reformas que buscavam, entre outros pontos, a liberdade individual, igualdade perante a lei, proteção à propriedade privada e o livre comércio. Porém, o liberalismo inicialmente não incluía a liberdade política feminina e conviveu com a escravidão.

Diferente do Brasil e do Chile, onde, a despeito das disputas políticas, as similaridades entre liberais e conservadores foram muitas vezes destacadas, em países como o México e a Colômbia, a rivalidade entre os partidos foi marcada em meados do século XIX pelo confronto sistemático e por guerras civis.

Quais as pautas que caracterizaram liberais e conservadores na América Latina? O que foram as reformas liberais do século XIX? Qual foi a relação dos povos originários com as reformas? Para responder a essas e outras questões, entrevistamos Maria Ligia Prado, doutora em História e professora emérita da Universidade de São Paulo (USP).

O episódio já está disponível nas principais plataformas de podcast e também em nosso canal no YouTube. Esperamos que gostem do programa e deixem suas opiniões, sugestões e críticas! Também não esqueçam de nos seguir em nossas redes sociais.

Dicas e links

Artigo "Benito Juárez y sus contemporáneos brasileños", de Maria Ligia Prado (2010)

Livro "El Zarco", de Ignacio Manuel Altamirano (1901)

Livro "María", de Jorge Isaacs (1867)

Livro "Utopias latino-americanas: política, sociedade e cultura", de Maria Ligia Prado, org. (2021)

Filme "Juarez", de William Dieterle (1939)


Conheça nossa entrevistada

Maria Ligia Coelho Prado é graduada em História pela Universidade de São Paulo (1971), mestre em História Social (1974) e doutora em História Social (1982) pela mesma instituição. É livre-docente em História da América Independente - FFLCH/USP (1996), professora Titular em História da América Independente - FFLCH/USP (2002) e professora emérita - FFLCH/USP (2012). Integra o Laboratório de Estudos de História das Américas - LEHA do Departamento de História da USP, que coordenou entre 2008 e 2012.

Foi presidente da Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas (ANPHLAC) entre 1998/2000. É especialista em História da América Latina, trabalhando na interseção dos campos da História Política, História da Cultura e História das Ideias. Maria Ligia Prado é autora, entre outros livros, de "América Latina no século XIX: tramas, telas e textos"; foi coautora de "Nova História das mulheres no Brasil", "História da América Latina" e "Novos combates pela História". É organizadora da obra "Utopias latino-americanas: política, sociedade, cultura".