#10- Estados Unidos: Como 13 colônias inventaram uma república

28/10/2020

Em 2020, os Estados Unidos assistirão à 59ª eleição presidencial de sua história. A disputa envolvendo o republicano Donald Trump, que tenta a reeleição, e o democrata Joe Biden, ex-vice de Barack Obama (2008-2016), marcará um ritual que vem sendo experimentado pela república norte-americana desde fins do século XVIII.
Podemos dizer, sem exagero, que o contexto eleitoral evoca uma série de símbolos, práticas e instituições que, embora se apresentem hoje como elementos consolidados na vida política daquele país, foram, na realidade, resultados das intensas disputas que se seguiram à Declaração de Independência em 1776.
Buscando se distanciar do sistema monárquico predominante na Europa do século XVIII, as antigas 13 colônias britânicas "inventaram", livremente inspirados na Roma Antiga, nas Cidades renascentistas italianas e no período dominado por Oliver Cromwell na Inglaterra do século XVII, uma nova forma de República.
Voltar aos primeiros anos dos Estados Unidos da América, nos ajuda a compreender como a criação da figura do Presidente e a elaboração de uma Constituição para servir como diretriz da vida política nacional, que hoje parecem caminhos óbvios, não eram necessariamente assim à época em que foram concebidas.
Da mesma forma, a consolidação paulatina de um sistema bipartidário e a eleição do líder do Poder Executivo por meio de um Colégio Eleitoral e não pelo voto direto nos mostram ainda duas facetas da organização republicana daquele país: a busca por uma espécie de moderação conservadora do sistema político e a importância atribuída aos Estados na escolha do líder do poder executivo.
É importante ressaltar ainda, o caráter excludente da República norte-americana na maior parte de sua existência. Negros, indígenas e mulheres, por exemplo, foram apartados por muito tempo das instâncias decisórias nos Estados Unidos e, ainda hoje, permanecem lutando por maior participação.
Para discutir essas e outras questões, convidamos para a entrevista o professor Marcos Sorrilha Pinheiro, especialista em História dos Estados Unidos e professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus Franca-SP.


Dicas do programa Hora Americana e links

Livro "O livro de tiradentes" de Kenneth Maxwell

Série  John Adams dirigido por Tom Hooper

Musical Alexander Hamilton dirigido por Lin-Manuel Miranda

Canal no youtube do Marcos Sorrilha 


Conheça nosso entrevistado

Marcos Sorrilha Pinheiro é professor Assistente Doutor da Universidade Estadual Paulista, possui graduação em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) onde realizou também seu Mestrado e Doutorado. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Intelectual no Continente Americano (séculos XIX e XX), atuando principalmente nos seguintes temas: cultura política, identidades nacionais e intelectuais e política.